Concurso TRF-5 2017/2018 – Banca Organizadora é Definida


  

Concurso deverá ofertar vagas de nível médio e superior. Salários podem chegar a R$ 11 mil.

Uma boa notícia para quem aguarda o concurso público do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, o TRF 5. Foi divulgada na última sexta-feira, dia 22 de setembro, pelo Diário Oficial, a informação da assinatura de contrato com a banca organizadora Fundação Carlos Chagas para o certame.

Com isso, o TRF 5ª, que abrange os Estados do Sergipe, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Ceará e Alagoas, já está em fases finais e de ajustes para o edital de abertura das inscrições para o concurso, que já poderá ser publicado nos próximos dias. Sabe-se que o processo seletivo será para os seguintes cargos: Analista Judiciário e Técnico, nas mais diferentes áreas de atuação.

Um concurso que vem sendo aguardado desde a data de 26 de junho, quando na ocasião o presidente do órgão, Manoel de Oliveira Erhardtm, autorizou a seleção, esse contará, conforme projeto básico, com oferta imediata de 12 vagas, bem como cadastro reserva de pessoas em diversas áreas. De todas as oportunidades de preenchimento imediato, seis são para analistas e seis são para técnicos.

Entre os pré-requisitos colocados para o cargo de analista, foi divulgada a necessidade de nível superior. Já para concorrer como técnico, o candidato precisará de ensino médio. As remunerações iniciais do certame são de R$ 11.007 para os analistas e R$ 6.709 para técnicos, podendo chegar com os complementos a R$ 11.921 e R$ 7.893, respectivamente.

Mais sobre as Vagas de Analistas

Das seis vagas imediatas para analistas, duas são para a área de medicina, duas para a área judiciária, uma para contadoria e uma para a área de informática/infraestrutura. O cadastro reserva de pessoal é para as áreas judiciária (execução de mandados), área administrativa (qualquer área de formação) e para a área de informática em desenvolvimento.

Para a área judiciária é exigida uma formação específica. Essa é em bacharelado no curso de Direito. Já nas áreas de informática, pede-se, além da graduação em qualquer área, a especialização em análise de sistemas ou superior em informática de 360 horas.

E, por fim, para a contadoria e medicina, é necessário nível superior em áreas respectivas.

Mais sobre as Vagas de Técnico




Nas vagas de técnico, do total de seis vagas imediatas, uma é para a área de segurança e de transporte e as demais para a área administrativa. Além dessas, o processo formará ainda cadastro reserva de pessoas para apoio especializado em informática.

Nas áreas de informática e administrativa, é exigência o ensino médio. Já na de segurança e de transporte, é necessário carteira de habilitação em categorias “D” e “E”.

Mais informações sobre o certame

Já estão definidas as taxas do concurso público do TRF 5ª Região. O valor será de R$ 75 para vagas técnicas e R$ 95 para as vagas de analistas.

Para os analistas na área judiciária e administrativa, serão realizadas provas objetivas e de conhecimentos gerais e específicos, bem como redação. As demais áreas de analistas farão provas objetivas com conhecimentos gerais e específicos, bem como um estudo de caso.

Para técnico em informática, serão feitas provas sobre conhecimentos gerais e específicos, bem como prova prática sobre elaboração de programas. Os técnicos em segurança e transporte farão prova objetiva sobre conhecimentos gerais e específicos, além da avaliação física. Já os interessados em cargo técnico na área administrativa passarão por uma seleção que conta com provas objetivas e de conhecimentos específicos e gerais, prova prática de digitação e uma redação.

Por isso, fique ligado nas divulgações futuras e não fique de fora. O último concurso público que foi realizado pelo órgão aconteceu no ano de 2012, também pela mesma organizadora, a Fundação Carlos Chagas. Na ocasião, foi formado apenas cadastro reserva de pessoas para analistas (área administrativa, judiciária em execução de mandados e judiciária) e técnicos (área administrativa em segurança e transporte e área administrativa).

Kellen Kunz


Deixe seu comentário