Concurso do Executivo Federal em 2019


  

Somente a partir de 2019 os concursos públicos do Executivo Federal serão autorizados.

Para quem se encontra na espera da abertura de novos concursos públicos para carreiras no Executivo Federal, as notícias que chegam apontam que esta espera deve demorar um pouco mais. É que ao que tudo indica estes certames serão autorizados para serem realizados somente no ano de 2019.

Na realidade muitos destes concursos já estão sendo aguardados desde o ano passado, mas não puderam ser realizados em decorrência da forte crise que afetou a economia do país.

Essas informações foram passadas por Arnaldo Lima Júnior, que é o assessor especial do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Contudo, o assessor deixa claro que a partir do ano de 2019 esses certames devem ser autorizados, pois eles já estão sendo necessários, uma vez que muitos servidores estão se aposentando, deixando um déficit de pessoal. Tanto que existe uma estimativa de que até o ano de 2027, cerca de 40% dos profissionais de órgãos do Executivo, devem se aposentar o que representa 216 mil profissionais.

Embora muitas pessoas aguardem que estes concursos sejam autorizados para o ano de 2018, infelizmente por problemas no orçamento, principalmente devido aos rombos que as contas públicas do país sofreram, eles não poderão acontecer, por isso espera-se que até 2019 as contas estejam mais controladas. Além disso, o ano de 2018 é ano de eleições presidenciais e pelo período de três meses que antecedem a data das eleições, novas contratações não podem ser realizadas, fazendo com que 2019 seja o ano propício para a realização destes concursos.

Como já se sabe, durante este período de crise na economia, muitos cargos foram cortados, mas apesar de o Ministério do Planejamento afirmar que pretende manter uma estabilidade da força de trabalho no setor público, que atua no atendimento ao público, o governo não tem a intenção de fazer a reposição de todas as vagas.

Na realidade espera-se contratar o menos possível, mas sem deixar que a qualidade dos serviços prestados por esses órgãos caia. A intenção o governo é poder otimizar seus serviços com a criação e aplicativos que de certo modo substituem atendentes, pois estamos em uma época em que a grande parte dos cidadãos estão habituados a lidar com a tecnologia e os órgãos do executivo acabam ficando para trás. Assim, não haverá comprometimento da qualidade nos atendimentos.




Sendo assim, com essa reestruturação de carreiras que o governo propõe, pretende-se uma economia de até R$ 70 bilhões em um período de 10 anos. Mas isso não impedirá que novas contratações ocorram nos anos seguintes.

A reestruturação de carreiras na realidade é uma proposta que ainda não recebeu aprovação do Congresso Nacional e prevê uma remuneração inicial no valor de R$ 5 mil para servidores novos, e um plano de carreira com 30 níveis de progressão, substituindo os 13 atuais e que consequentemente fará com que os servidores demorem mais para terem aumento de salário.

Com essa reestruturação aprovada o governo espera que o valor de cada servidor caia em até 70%. Já que um servidor público com formação de nível fundamental e médio ganha cerca de três vezes mais que um profissional deste nível no setor privado.

Enfim, embora muitas pessoas tenham aguardado concursos públicos do INSS, do Banco do Brasil e outros órgãos que pertencem ao Governo Federal, já está confirmado que para o ano de 2018 nenhum deles deve ser autorizado. Primeiramente, devido a instabilidade da economia brasileira, ocasionada pela crise política e pela corrupção envolvendo dinheiro público e em segundo ao fato de que a reestruturação de carreiras ainda não teve uma definição.

Contudo, diante da necessidade de servidores que estes órgãos devem apresentar nos anos que seguem, os concursos tendem a ser autorizados para 2019.

Por Sirlene Montes


Leave your comment